Conheça a si mesmo e saia da mesmice!

Você provavelmente já se perguntou muitas vezes, assim como eu, sobre qual caminho tomar ao longo da vida, que escolhas fazer e quais planos traçar. É capaz ainda que você esteja muito ansioso e indeciso para o próximo passo que vai dar na sua carreira. Pois bem, esse também sou eu neste exato momento, porém eu gostaria de compartilhar uma ideia, pois é justamente nisso que tenho pensado para tentar dar o próximo passo.

Terminei recentemente de ler um livro chamado “Pai Rico Pai Pobre”, de Robert Kiyosaki, que fala justamente sobre a necessidade de educação financeira que não temos nem aprendemos nas escolas, e por muitas das vezes não aprendemos na vida, ainda que ela nos esmurre ou nos chute no estômago todas as vezes quanto possível for – entre outras lições que valem a pena serem lidas, como o fato de trabalharmos mais por medo e menos por amor.

Seguindo-se à lista de livros que estão na estante aguardando para serem lidos – e eventualmente espiados – está o “Teste do Marshmallow”, de Walter Mischel, que sem mais nem menos aborda os estudos de um psicólogo sobre como nossas escolhas influenciam quem somos ou seremos e as implicações disso na nossa mente. Ambos os livros tratam em eventuais situações sobre o “poder” que cada um de nós tem na vida, um tema que me chamou muita atenção no livro “O Efeito Vencedor” de Ian Robertson.

Todos esses livros têm algo em comum: eles nos mostram como não conhecemos a nós mesmos, ainda que tenhamos alguma experiência sobre a vida, e como o fato de não termos determinados tipos de conhecimento ou informações nos privam de algo muito simples: entender a nós mesmos.

Poderíamos filosofar sobre quem somos, o que somos, para onde vamos e o que deixamos de fazer, mas sem dúvidas podemos afirmar que se não conhecemos a nós mesmos, em nossa individualidade, não conseguiremos entender quais os nossos próprios sonhos, nossos próprios desejos, nossas necessidades.

Sem conhecer a si mesmos muitos se perdem em vãs filosofias ou até mesmo em ideias e crenças que em nada acrescentam, e que até podem prejudicar aos outros no pior dos casos. Muitos preferem se apegar a teorias que mudam do dia para a noite e são mais efêmeras que a chama de um palito de fósforo, quando esse fogo se apaga não resta nada mais do que o escuro da ignorância, o desespero e a sede pela verdade.

Como diz em um dos meus livros favoritos da Bíblia, o de Provérbios: “ O que adquire a sabedoria é amigo de si mesmo e o que guarda entendimento prosperará”. “Não é bom agir sem refletir; e o que se apressa com seus pés erra o caminho”. Adquirir sabedoria também é desbravar a nossa mente, é aprender a olhar no espelho e perceber quando estou sendo grosso, imprudente, ingênuo, tolo, egocêntrico, egoísta, seja em pequenos atos ou em vários momentos da vida. Conhecer a si mesmo é perceber que o mundo não gira ao nosso redor, mas que nem por isso deixamos de ter uma parte importante nem de ser os protagonistas de nossa própria vida. Por isso precisamos justamente refletir, reconhecer.

Saber quem somos de verdade nos impede de acreditarmos na imagem das próprias máscaras que colocamos sobre nós mesmos e nos ajuda a discernir quem está mentindo sobre nós e quem nos conhece também.

E só depende de cada um de nós, além disso também é um processo que dura uma vida inteira, não vamos descobrir quem somos por completo ou mesmo mudar nossos defeitos de hoje para amanhã, e para nós que somos jovens é muito importante ter ciência disso, mas enquanto não começamos a nos conhecer continuaremos sempre na mesma.

Tente diferente hoje e tente ficar calmo, é o que eu penso e tento colocar em prática, só não sei se essa fórmula vai servir para você, isso já depende do quanto você se conhece e quer sair do ponto morto.

 

________________________________

beautiful blur book brunette

Breve comentário sobre o texto: às vezes bate um desespero ao parecer que nada na vida tem mudado, mas olhando para quando este texto foi escrito, algumas coisas mudaram sim e algumas opiniões e descobertas pessoais fizeram parte do caminho mesmo em um ano e meio. É realmente pra tentar ficar calmo, mas é a parte mais difícil (rs).

Publicado originalmente no blog Vendedores de Ideias em 23 de julho de 2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
Follow Escrito Por André Basualto on WordPress.com
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: